Franchising cresceu 19% no 1º trimestre de 2024, diz ABF

Franchising cresceu 19% no 1º trimestre de 2024, diz ABF

No cenário atual do empreendedorismo, pesquisa da Associação Brasileira de Franchising (ABF) revelou que o franchising cresceu e registrou uma alta de 19,1% no seu faturamento no primeiro trimestre de 2024. Comparado aos mesmos meses do ano passado, o setor passou de R$ 50,8 bilhões para R$ 60,5 bilhões.

O estudo aponta ainda que no acumulado de doze meses, o setor cresceu 14,3%, cujo faturamento passou de R$ 218,9 bilhões para R$ 250,3 bilhões. Com isso, os dados refletem não apenas um impulso econômico significativo, mas também um indicador sólido da resiliência e adaptabilidade do modelo de negócio.

Esse resultado foi alavancado por fatores sazonais e o forte desempenho dos segmentos de Alimentação (tanto Comércio e Distribuição, quanto Food Service) e Serviços e Outros Negócios. Entre os fatores sazonais, um dos destaque foi o fato de a Páscoa ter caído este ano no 1º trimestre, o que, associado a maior demanda por chocolates finos, trouxe grandes resultados para as franquias deste segmento.

“A taxa expressiva de crescimento das franquias no período reflete tanto a fortaleza do setor, que continua sua jornada de expansão e busca por eficiência e novos modelos de negócio, como eventos extraordinários”, destacou Tom Moreira Leite, presidente da ABF.

Cenário macroeconômico contribuiu para crescimento do franchising

Além disso, na avaliação da entidade, o cenário macroeconômico também foi fundamental para o desempenho do setor. A elevada taxa de ocupação, o Produto Interno Bruto (PIB) no 1º trimestre, a queda (ainda que lenta) da taxa SELIC e a inflação mais controlada estimularam uma maior disposição da população que aqueceu o consumo.

“Que o cenário positivo não elimina desafios importantes no setor, como ajustar operações omnichannel, acompanhar a constante mudança do comportamento do consumidor e, principalmente, equacionar a elevada carga tributária, a pressão inflacionária e a quitação de compromissos financeiros assumidos ao longo da pandemia”, completou Moreira Leite.

De acordo com o levantamento da ABF, foram abertas 4,3% mais operações e encerradas 1,9%, resultando num saldo positivo de 2,4%. Em relação aos empregos diretos, o setor totalizou mais de 1,6 milhão, o que representa 4,9% a mais do que no mesmo período do ano anterior.

Segmentos em que o franchising mais cresceu

O estudo mostrou que o franchising cresceu em todos os segmentos listados pela ABF. O segmento de Alimentação – Comércio e Distribuição teve o crescimento de receita 43,9% maior nos três primeiros meses do ano. A justificativa, além do desempenho das chocolaterias durante a Páscoa, é também a queda da inflação, com a massa real de rendimentos ampliada em 4,6% no último ano. 

Alimentação Food Service também se destacou com um crescimento de 26,6%, alavancado pela consolidação da retomada dos salões, a persistência do hábito de pedidos delivery, a demanda provocada por grandes eventos e pelo próprio turismo. Além disso, novas marcas iniciaram as operações neste mercado e a expansão da base de operações das franquias já estabelecidas.

Já o segmento de Serviços e Outros Negócios registrou alta de 25,3% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. Na sequência vieram os segmentos de Entretenimento e Lazer (19,6%), Casa e Construção (15,8%) e Saúde Beleza e Bem-Estar (14,7%).

Últimas Notícias